15 atitudes para criar tempo já

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

e fazer o que realmente importa:

Leia também Como criar tempo.

1. Elimine os relógios: da parede, do pulso, do carro, eles são os sentinelas da prisão da qual você tem que sair.

“Em vez de sentirmos a presença invisível de um imenso relógio na parede, denunciando-nos os minutos, as horas que estamos perdendo com essa conversa com nosso amigo, com nossos filhos, com as pessoas que vêm falar conosco, em vez de percebemos em toda parte os olhos desse deus-velocidade a nos vigiar e a nos cobrar rapidez, troca contínua de situações, saltando por cima de coisas atrás de coisas, em vez de nos submetermos voluntariamente a esse terror vácuo, um dia poderíamos começar a sentir o tempo, o presente, o prazer da permanência, do não-pensar-no-futuro, do deixar-a-coisa-passar. A satisfação de poder perder tempo e sentir um gosto novo de, pela primeira vez, estar presente no planeta.” (Ciro Marcondes Filho, Perca Tempo – É no lento que a vida acontece)

2. Utilize outros meios de aviso: há inúmeros aplicativos para celular que podem te auxiliar mas há também a boa e velha agenda. Eu utilizo o Google Calendar que me avisa com a antecedência necessária meus compromissos. Obs: Não caia na armadilha de agendar coisas demais, porque em vez de a agenda funcionar como um alerta para fazer o que deve ser feito, na hora em que tem que ser feito e liberar sua mente das preocupações, pode também funcionar como uma lista imensa de coisas nada importantes realmente para a sua felicidade. Há pessoas (como eu) que caem na armadilha de encher a agenda de “linguiça” e ficar “sem tempo” para realizar o mais importante: fazer o que faz o coração vibrar, amar, ficar de boa, etc.

3. Durma cedo e ponha seus filhos (se tiver) pra dormir cedo: a vida rende pela manhã. Se não der pra dormir pouco depois que a noite cai, não durma após a meia-noite. Dormir no dia seguinte não é muito natural. Aproximemo-nos dos ciclos naturais, dos nossos ciclos. Por mais que você seja noturno, você não é um morcego, nem uma coruja, então, durma. Para nós, adultos, dormir cedo ainda previne a ansiedade e a obesidade. Quanto aos seus filhos, crianças devem “dormir com as galinhas” por muitos motivos: crescer o que tiver que crescer (a maior produção do GH, o hormônio do crescimento é sempre à noite, das 21 às 4 horas da manhã e quando a criança não está na cama neste horário, a produção de GH declina e ela cresce menos); fortalecer os ossos com o sol da manhã (dormindo tarde, consequentemente, acordarão tarde e perderão essa bênção matinal, já que por meio do sol, nosso organismo obtém a vitamina D e, com ela, melhora a absorção do cálcio, fortalecendo os ossos); ajustar o relógio biológico (a melatonina, hormônio que estimula o sono e indica ao cérebro que é noite, é produzido das 20 às 21h30, depois deste horário a criança volta a se agitar, embora ainda continue com sono, e é difícil convencê-la de que ainda é hora de dormir, pois a mensagem do organismo já passou); melhorar a capacidade de aprendizagem e ajudar a memória.

Caminhada matinal no Pontal, com o suave som das ondas.
Caminhada matinal no Pontal, com o suave som das ondas.

4. Destralhe sua casa, trabalho e carro: elimine superfícies planas, gavetas e portas. Dê o que é útil para os outros mas não para você, até aquelas taças lindas se você não bebe, ou vai ter que, pelo menos, perder tempo todo mês para mantê-las limpas. Se desfaça do que está velho sendo possível casa de traças (saúde não tem preço). Se livre daquelas roupas que nunca mais irão te servir. Dê prazo para o que tem dúvida se te serve pra algo, por exemplo,  um ano para aquele vestido de festa, um mês para aquela calça jeans. Conserte o que te é útil e só está atuando como entulho. Tire do seu ambiente o que somente está tomando espaço e te custa tempo para organizar e limpar de vez em quando. (Logo escreverei sobre como destralhei minha casa e, consequentemente, minha vida. 🙂 )

5. Organize suas coisas: depois de destralhar é hora de organizar o que sobrou, o que te serve e te faz bem. Aplicar um consumo saudável nessa hora ajuda e muito. Não tem preço o tempo que você economiza de procurar suas chaves quando você tem um porta-chaves. Utilize também ganchos de teto, porta e parede: são baratos, pequenos, portáteis, somente para aquele bem útil (não são itens de acumulação) e são fáceis de localizar. Troque armários por módulos abertos: estantes, prateleiras, nichos. Você acha com mais facilidade, usa o que tem utilidade, percebe o que não tem e o destralhe se torna um hábito até que sua casa e/ou trabalho fiquem muito mais enxutos. Em locais úmidos, essa mudança também impede que as coisas cheirem mal e até mofem, além de ventilar mais, sendo menos propício para traças, baratas, roedores, etc.

6. Limite sua conexão virtual: esse é um desafio pra muita gente, pra mim inclusive. Além de economizar tempo, permanecer menos tempo logado te dá mais liberdade de conexão interior, e exterior, com o mundo real. Desligue os avisos de What’s up, Facebook, Instagram, etc. Discipline-se quanto a este item. Tecnologia vicia, excesso de informação também. Adquira hábitos saudáveis como acessar a internet apenas após o almoço ou manter o celular fora de alcance enquanto dorme. Sem um celular nas mãos dá pra se apreciar melhor o firmamento, sentir a brisa no seu rosto, perscrutar mais fundo a carinha dos seus filhos. <3

7. Elimine os apêndices: sabe aquele projeto que é sempre adiado? Aquela tarefa que vive na sua agenda mas que você nunca consegue tempo para executá-la? Desista, elimine de vez da sua agenda, das suas metas, da sua vida. Pare de pensar no que não é importante AGORA e otimize sua vida para o que realmente importa. Use a procrastinação para manter o seu FOCO.

DSC04338 (2)

8. Reveja seus hábitos: todos aprendemos a fazer as coisas de uma determinada maneira, seja dirigir, organizar as roupas, comer, etc., só que para muitos de nossos hábitos criamos métodos e rituais de praticá-los que nem sempre são econômicos ou úteis, às vezes demorando muito com procedimentos que poderiam ser eliminados da nossa vida. Por exemplo: tem gente que seca toda a louça lavada antes de guardá-la, sendo que poderia deixar secar  enquanto se faz algo mais útil para depois, quando estiver seca, guardá-la; tem gente, também, que passa roupa que não amassa, que limpa demais, que lava demais, que faz coisas inúteis demais. Claro que certas tarefas cotidianas podem e devem funcionar como tarefas de meditação dinâmica (sobre a qual falarei em outro artigo), mas isso não quer dizer que temos que fazer coisas inúteis para conseguir tempo de meditação. Se você perceber que tem tarefas que poderia fazer de outra forma para ganhar mais tempo, porém não consegue eliminá-las, e não percebe o porquê disso, o ideal é que você busque auxílio profissional para descobrir, o que vale muito o investimento, já que a vida não tem preço. Eu, por exemplo, não passo roupa em casa, nenhuma, só ligo a máquina de lavar roupas quando está cheia e não uso pregadores para estendê-las no varal, já que onde moro as roupas secam muito rapidamente.

banner-esv

9. Resolva o urgente primeiro: pra ficar tranquilo pra fazer o importante, tire o urgente da cabeça.  Ex 1: pague as contas assim que elas cheguem ou ponha em débito automático ou coloque um aviso mensal na agenda para lembrá-lo do dia de pagá-las. Ex 2: faça o mercado mensal logo que receber e o semanal (pra quem tem filhos como eu ou come em casa) logo no início da semana. Ex 3: conserte o que está quebrado, rasgado, danificado e fica te incomodando diariamente.

10. Faça lista do que tem que comprar (e compre sem fome): pra demorar menos na hora de comprar e não comprar o desnecessário, que, ou vai entulhar ou vai estragar ou vai te fazer mal. Com uma lista na mão você não fica dando voltas e voltas no mercado avaliando o que você precisa, nem se envolvendo com publicidade de industrializados (há coisas melhores para se ler). Comprando sem fome você compra menos quantidade e menos itens de rápido consumo ou com excesso de calorias, ou seja, menos porcarias, e, claro, demora menos comprando, porque há coisa melhor pra se fazer na vida.

Essas folhas de couve eu não comprei, veio da horta da minha tia em Caraguatatuba.
Essas folhas de couve eu não comprei, vieram da horta da minha tia em Caraguatatuba.

11. Facilite a sua vida: pague suas contas no aplicativo do banco no celular, mande seu/sua filho(a) de transporte escolar (caso você já tenha tempo de qualidade com ele(a)), encha o tanque do carro sempre que abastecer, tenha um talão de cheques em casa para não ter que ir sacar dinheiro pra pagar a pizza se o cartão não passar ou pagar uma prestação de serviços de emergência, tenha uma mini-horta em vaso com os temperos que mais te aprazem (para tê-los sempre frescos, baratos e à mão), pague alguém para fazer o que você não gosta ou compre um eletrodoméstico que faça (eu, por exemplo, releguei à lava-louças a tarefa que odiava 🙂 ), elimine o que só te dá trabalho (como coisas para aspirar e lavar o tempo todo: tapetes, bichos de pelúcia, etc). Certas economias não valem o tempo que custam e certas facilidades não têm preço. Desapegue do que te toma vida.

12. Cozinhe em casa e congele alimentos prontos ou semi-prontos: liberte-se do fast-(junk)-food e faça parte da revolução de quem retomou o poder da culinária e cozinha a própria comida. Ganhe saúde. Salve dinheiro e tempo fazendo um menu semanal e cozinhando quantidades um pouco maiores e congelando o excesso. Já pique os temperos frescos e congele quando chegar do mercado, descasque a mandioca e congele (cozida ou não) e congele as leguminosas cozidas de um panelão (feijão, lentilha, ervilha seca, grão-de-bico). O tempo que você aguarda num restaurante para comer uma comida verdadeira é o tempo que você leva para fazê-la, além de sair mais barato em dinheiro também. É claro que tem self-services muito bons em algumas cidades, e não há problema algum de relaxar de vez em quando e se dar ao luxo de ser servido à mesa, mas não seja escravo do servir alheio, seja auto-suficiente para, pelo menos, preparar a própria comida, se não tem a possibilidade de produzi-la também, o que é uma revolução maior ainda. Toda prisão te rouba tempo.

Tapioca da noite com manjericão da horta.
Tapioca da noite com manjericão da horta.

13. Faça terapia: todas as terapias trabalham o passado, esse tempo que já foi e não voltará, já que “nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Tudo passa, tudo sempre passará!”, mas às vezes demooooora a passar, ou seja, passa a vivência mas não passa a lembrança, os conceitos, os medos, tudo que interiorizamos daquilo que passou. E muito do passado continua no nosso presente de maneira negativa: seja povoando a nossa mente, seja nos fazendo viver de uma maneira que não condiz com o nosso eu, presa em alguma ideia passada de alguma experiência que tivemos. Se não temos presença no tempo que temos, de nada adianta ganharmos tempo pois ou estaremos com nossa mente lá atrás ou estaremos vivendo sem qualidade, já que tempo de qualidade é aquele em que aplicamos nossa verdade.

14. Perca tempo com o essencial: não vai sobrar para o resto. Como dizia o filósofo Marco Aurélio, que nasceu 120 anos depois de Jesus Cristo e que também foi imperador em Roma, “não aja como se você fosse viver 1000 anos”. Tento sempre me colocar na situação da minha jornada terrena ser mais curta do que o esperado para alguém da minha idade, do tipo, estar aqui apenas mais um mês, uma semana ou só um dia. Cada um sabe o que é essencial pra si. Reflita sobre o que é essencial pra você e o coloque como prioridade, todos os dias.

2013-05-04_16-27-20_624

15. Espiritualize-se: para abandonar o “futuro” você precisa de fé, confiança de que está tudo certo no momento presente. Você precisa crer que seu presente é resultado das escolhas que você fez no passado e que seu futuro é algo que não existe, e você deve se empenhar em viver feliz no aqui e agora. Para isso, busque a sua fé. A de cada um é única, daí a diversidade de crenças e religiões, mas a de todos nós deve ser em nós mesmos como seres divinos e na divindade que nos rodeia. Agradeça. Namastê.<3

Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo

 

Deixe uma resposta