Desenvolvimento Pessoal

Porque é um erro nos projetarmos no outro

Porque é um erro nos projetarmos no outro

1 minuto Quando você está focada(o) em você, no seu autoconhecimento, no seu desenvolvimento, no seu sonho, você não tem muito tempo pra olhar para o lado e se lamentar: “puxa, como eu queria estar como fulana(o)!”. Lembre-se sempre de que o que vemos do outro é sempre uma ínfima parte da totalidade dele e que todos nós mostramos apenas o que temos de belo (ou o que queremos florear). E nunca, nunca mesmo, se compare. Todos somos únicos apesar de termos as mesmas Continue lendo

Partida para renascer: meu parto Estelar

Partida para renascer: meu parto Estelar

menos de 1 minuto Toda gravidez muda uma mulher. O primeiro filho nos torna mães, mas todos os seguintes nos tornam mais mães, mais mulheres (seres criadores), mais nós mesmas. Todo puerpério (no meu caso, a gestação também) traz sombras e preciosas revelações sobre o nosso eu interior. Tenho três filhos, e toda a gestação, parto e pós-parto deles me transformaram muito, mas meu último parto, a vinda da Estela, cavocou as fibras mais profundas do meu Ser, tanto pelo Ser dela como pelo Continue lendo

Como eu resolvi viver do que amo sem voltar atrás

Como eu resolvi viver do que amo sem voltar atrás

12 minutos Após eu escrever meu último artigo, em que descrevi um pouco da minha realidade de mãe solo de três, longe da família e feliz, alguns questionamentos surgiram por parte de alguns leitores e resolvi compartilhar um pouco mais do meu atual processo de busca por uma vida que amo, o que inclui, claro, sustentar essa vida que amo, ou seja: trabalhar no que amo.  …5, 4, 3, 2, 1! 2016 chegou, algo mudou? Minha contagem regressiva não é a do ano novo, não Continue lendo

Não é você, sou eu!

Não é você, sou eu!

7 minutos Desde que decidi viver de acordo com o que acredito, e, por conta disso, tomar decisões consideradas um tanto drásticas para o senso comum, vira e mexe ouço os comentários abaixo ou outros parecidos, que, muitas vezes, são feitos com um quê de agressividade, principalmente por eu ter três filhos e impactar a vida deles com as minhas escolhas “diferenciadas”. “Como assim você vai sair do seu emprego pra cuidar dos seus filhos?” “Como você vai pagar as suas contas?” “Não acredito Continue lendo