Quando soltamos o MEDO ganhamos o SONHO

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já pensou que talvez todo o medo que você tenha seja apenas decorrente de uma impossibilidade sua de ver além?

Que não passe apenas de teimosia sua em querer acreditar que tudo é aquilo que você consegue  ver?

E que, sem todo esse medo, seja possível um Universo além do mundo em que vivemos e nos  relacionamos?

Onde possamos realizar muito mais do que ousamos querer?

O medo do medo é, na maioria das vezes, mais forte que o próprio medo do “desconhecido” ou do pior.

Temos tanto medo de que o pior aconteça, que fugimos do medo o tempo todo e vivemos assombrados por esse mal invisível, na verdade, inexistente, porque não é algo factual, é apenas, na maioria das vezes, uma possibilidade mental.

O medo é como um véu posto frente a nossa visão, que não nos deixa ver os possíveis caminhos a seguir no amplo horizonte adiante, porque, acima de tudo, é uma criação mental, que ocorre quando a mente está no comando do nosso espírito.

Solte o medo. Você o tem porque você mesmo o segura. Porque medo é algo que temos, não algo que somos.

Somos seres de luz e estamos neste orbe-escola para evoluirmos: este é nosso propósito maior.

Porque insistimos, então, de termos tanto medo de que nos falte o básico para vivermos aqui? Se viemos aqui com o propósito de vivermos aqui para evoluirmos?

Em última instância, o medo é sempre da morte, ou, como queira, que se falte os recursos necessários para que haja vida do corpo.

E o que é a morte senão a impossibilidade de experienciar a vida?

Quem vive com medo, não vive, está amputado espiritualmente, impossibilitado de desenvolver suas extensas e profundas potencialidades pela estagnação que impede a atitude.

Estagnação é morte! Vida é movimento.

DSC04284
Sob o céu de Granada.

Lembre-se dos momentos em que mais realizou na sua vida, com certeza foram aqueles em que você não ficou pensando demais nas impossibilidades e se colocou em ação.

Quando vivemos além da mente, quando nossas atitudes são presentes e são movidas pelo espírito, ganhamos a paz e a alegria que as crianças têm,

porque confiam na vida,

porque vivem de forma integral,

porque experienciam muito mais do que pensam,

porque, quando pensam, pensam primeiro no bem e no bom.

Sabe aquelas pessoas incríveis, que fazem acontecer que você admira? Sabe a única diferença delas pra você?

É que elas enfrentaram o medo, perscrutando a fundo todas as suas possibilidades e, mais conhecedoras dos riscos e perigos, decidiram seguir adiante. Ou seja: não tem medo do medo.

Ou, elas apenas desapegaram das piores possibilidades, acreditaram nas melhores e entraram no flow.

Em ambas opções, essas pessoas conseguiram se colocar em movimento de forma consciente, tiveram atitude, seguiram seu coração e co-criaram seu próprio mundo, auxiliando, muitas vezes, outras a co-criarem o seu também, apenas dando o exemplo.

Depois de ler este pequeno texto, te proponho duas ações para não deixar que ele tome conta do seu Ser:

1. Encarar o medo e conhecê-lo profundamente, dando espaço e tempo para que ele invada toda a sua mente e para que você sinta em todas as suas células a experiência imaginária que ele traz.

2. Deixá-lo de lado e acreditar no seu propósito maior e perseguir apenas as melhores possibilidades, sem cogitar o pior (caso você sinta que consegue seguir sem ser assombrado por ele).

Se tiver alguma dúvida sobre como tomar essa atitude em prol da sua libertação ou quiser compartilhar seus resultados após tomá-la, me escreva!

Grande abraço,

Namastê.

 

 

 

Deixe uma resposta